Choque de Gestão: o modelo de Aécio Neves e os novos prefeitos

 
Discurso de posse dos novos prefeitos eleitos é mais um sinal da nacionalização do Choque de Gestão criado por Aécio Neves
Alguns dos principais discursos de posse dos novos prefeitos eleitos no Brasil, no primeiro dia de 2013, foram um forte sinal da nacionalização do Choque de Gestão, modelo de administração criado por Aécio Neves em 2003, quando assumiu o Governo do Estado de Minas Gerais. De Norte a Sul do país, nas Câmaras Municipais, foram ditas frases que vão de encontro às bases de pensamento do vanguardista modelo de gestão pública: “ajustar as contas do município”, “gastar menos com a máquina administrativa e mais com a população”, ‘a atenção à cidade transcende a questão partidária”, “não vou governar fazendo política partidária; não vou permitir negociar o futuro da cidade por vantagens políticas”, “melhorar a qualidade dos gastos”, entre outras.
 
O Choque de Gestão foi implantado por Aécio Neves logo no início de seu primeiro mandato como governador de Minas Gerais, em 2003. O modelo vanguardista de administração pública se propunha a “gastar menos com a máquina e mais com as pessoas”. Trocando em miúdos, o objetivo era enxugar os gastos burocráticos da máquina para que o Estado tivesse mais fôlego financeiro para implantar políticas sociais e de incremento da infraestrutura para a atração de investimentos e geração de empregos pela iniciativa privada.
 
Em pouco menos de dois anos, o Choque de Gestão conseguiu tirar o Estado de Minas Gerais de um déficit orçamentário de R$ 2,3 bilhões para uma posição que foi chamada à época de “Déficit Zero”. Minas Gerais voltava a ter capacidade de investimento, recuperava o aval da União para parcerias externas e começava a implantar programas revolucionários nas áreas de educação, saúde, segurança pública e saneamento básico, principalmente.
 
O Choque de Gestão de Aécio Neves não demorou a ingressar na Agenda Nacional. A gestão eficiente na administração pública, mostrada ao país e ao mundo por Minas Gerais, era bandeira defendida por vários políticos, independente de coloração partidária, nas eleições de 2006, 2008, 2010 e 2012.
 
E o fato de importantes prefeitos citarem, ontem, em seus discursos de posse, a determinação de implementarem gestões eficientes durantes seus mandatos – como foi o caso de Fernando Haddad (PT/SP), Eduardo Paes (PMDB/RJ), ACM Neto (DEM/BA), Marcio Lacerda (PSB/MG), José Fortunati (PDT/RS), entre outros – é um sinal muito positivo de que a modernização da administração pública veio para ficar desde o Choque de Gestão de Aécio Neves.
Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s